terça-feira, 4 de agosto de 2015

DESTAQUE >>VINÍCIUS LIMA É CAMPEÃO MUNDIAL DE JIU JITSU PROFISSIONAL EM SÃO PAULO

Olho nesse Garoto... Marcus Vinícius é o nome dele! Com apenas 17 anos, foi campeão do mundial de unificação de títulos mundiais o W.U.C pela CBJJE no Adulto faixa Azul! É isso aí fera braba; de Lajes no RN para o Mundo... Parabéns tbm aos professores responsáveis pela sua e pelo Jiu-Jitsu na cidade de Lajes do Cabugi.


 Nota de Cícero Lajes - Antes de embarcar para São Paulo Vinícius Lima havia divulgado em seu Facebook um pedido de ajuda financeira para custear sua estadia lá em São Paulo. A todos que ajudaram de alguma forma está aí o retorno.


Com informações do Blog do Cícero

Meio Ambiente >> Criada a Política de Combate à Desertificação

Objetivo é promover ações preventivas na região semiárida, para evitar práticas que resultem na degradação da terra.
A presidente Dilma Rousseff sancionou a Lei nº 13.153/ 2015 que institui a Política Nacional de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca. A norma está publicada na edição desta sexta-feira (31/07) do Diário Oficial da União (DOU). É resultado do projeto (PLS 70/2007) aprovado pelo Senado no último dia 8.
O objetivo da nova política é promover ações de uso dos recursos naturais e iniciativas produtivas sustentáveis nas áreas suscetíveis à desertificação, para evitar a degradação da terra, e inclui medidas como uso de mecanismos de proteção, preservação, conservação e recuperação dos recursos naturais. O texto estabelece princípios e objetivos da política e autoriza o Executivo a criar a Comissão Nacional de Combate à Desertificação (CNCD). Essa instância será responsável por programar ações e articular as iniciativas de órgãos federais, estaduais e municipais.
A proposta do projeto define termos específicos como desertificação, seca e degradação do solo, e dispõe sobre incentivo ao desenvolvimento sustentável nas áreas afetadas. A gestão de recursos hídricos também fará parte das ações de controle e recuperação. O poder público deverá promover a sensibilização e atuação no combate ao problema.
AÇÕES PERMANENTES
Para o diretor de Combate à Desertificação do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Francisco Campello, para evitar a desertificação, são necessárias a implantação de boas práticas de convivência sustentável que possibilitem a conservação de solo nas atividades agropecuárias; o uso correto dos recursos florestais; maior eficiência nos sistemas produtivos que promovam a segurança hídrica, alimentar, energética e que conservem as paisagens. “No caso brasileiro, as secas são fenômenos recorrentes, específicos da região semiárida, fazendo-se necessário um conjunto de ações permanentes para seu enfrentamento”, destacou.
A luta contra a desertificação envolve sobretudo ações de caráter preventivo para minimizar as intervenções danosas tais como práticas agrícolas inadequadas, responsável pela ocorrência e agravamento do fenômeno.
ESTRATÉGIA DE COMBATE
O MMA vem adotando uma estratégia de combate dos principais vetores do processo de desertificação, fomentando iniciativas estruturantes para uma convivência sustentável com a semiaridez, de forma a promover segurança hídrica, alimentar, energética e a conservação da paisagem, com o uso de tecnologias sociais e de baixo custo adaptadas ao clima das Áreas Suscetíveis à Desertificação (ASD), efetivamente contribuindo para a melhoria das condições de vida da população local e para o combate
As áreas suscetíveis à desertificação (ASD) envolvem 11 estados e tem uma área de 1.340.000km² e uma população aproximada de 35 milhões de habitantes. Nesse contexto é a área com maior densidade populacional do mundo, e também é uma região com grande presença de pobreza.
Segundo dados do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas da ONU, até 2050 cerca de metade das terras com potencial agrícola na América Latina pode sofrer com a desertificação e a salinização. Um dos fatores que contribui para o problema no semiárido brasileiro é o uso da lenha e do carvão vegetal de origem clandestina para fomentar atividades econômicas, como, por exemplo, da indústria do gesso, no extremo oeste do estado de Pernambuco.

Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA) – (61) 2028.1573

Prisão de Dirceu serve como cortina de fumaça para esconder atentado contra Instituto Lula

images (6)
Por Lúcia Rodrigues para o site Caros Amigos
A prisão do ex-ministro da Casa Civil do governo Lula, José Dirceu, detido pela Polícia Federal na manhã desta segunda, 3, em Brasília, na 17° fase da operação Lava Jato, batizada de Pixuleco, não se justifica,
segundo o ex-procurador de Estado, Márcio Sotelo Felippe.

“É um ato arbitrário e injustificável. Não há necessidade de prisão. Ele cumpre pena no regime semiaberto. Tem endereço certo. Não há nenhuma justificativa para essa prisão, a não ser para promover o espetáculo de um estado policialesco, que criminaliza a política”, frisa.
O jurista não descarta a hipótese de que a medida tenha sido posta em prática para desviar a atenção do atentado à bomba contra o Instituto Lula e ajudar na mobilização da manifestação convocada pela oposição contra a presidente Dilma, marcada para o próximo dia 16. “São especulações razoáveis.”
A decisão com a ordem para a prisão de Dirceu foi assinada eletronicamente pelo juiz Sérgio Moro às 11h38 da segunda-feira passada, 27, há exatamente uma semana.
No despacho, além da prisão do ex-ministro, Moro salienta outras medidas relacionadas a ele e a associados, como buscas e apreensões.
Na operação, a Polícia Federal também prendeu o irmão de Dirceu, Luiz Eduardo Oliveira e Silva, e seu ex-assessor, Roberto Marques, o Bob.
A ordem de prisão também determinou o bloqueio dos ativos mantidos em conta e investimentos bancários dos três acusados, além da empresa de Dirceu. Outros três acusados e a TGS Consultoria e Assessoria em Administração também foram atingidos por essa determinação.
Dirceu é acusado de ter recebido propinas que teriam sido disfarçadas na forma de consultorias prestadas por sua empresa de assessoria JD. A empresa já está desativada.

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Justiça com as próprias mãos >> Um descontrole social induzido por parte da mídia e assumido pessoas que acreditam na violência como meio de resolução dos problemas...


Hoje em dia mediante o aumento da violência social em todos os lugares, fazendo com que as pessoas a cada dia sintam-se mais inseguras, alguns "programas" de televisão, aproveitam para incentivar a reação da população através de atos extremos de violência, que acabam se expandindo para as redes sociais, com uma enxurrada de opiniões favoráveis ao linchamento público de ladrões ou mesmo indivíduos que tenham cometido algum delito pela própria população. 

Porém, é preciso mostrar que essa falsa "sensação resolução do problema" na verdade reflete outra realidade perigosa, que é a justiça feita com as próprias mãos, mostrando dessa forma uma selvageria social descontrolada e transformando o cidadão de bem em um animal incontrolável com apenas um desejo nesse momento, que é o de matar, acabar com a vida de um outro sujeito, que mesmo tendo cometido um delito deve ser preso, julgado e sentenciado pelos órgãos competentes para isso.

Esclarecendo >> Bob Fernandes: Manchetes não derrubarão presidenta



"Não se derruba presidente com manchetes, isso seria golpe", resume assim o comentarista político Bob Fernandes, de TV Gazeta, os ataques contra a presidenta Dilma Rousseff e o papel assumido pelo candidato derrotado em 2014 Aécio Neves.


Encabrestamento através da educação >> Projeto prevê até 3 meses de prisão para professor que abordar politica na sala de aula

Resultado de imagem para rogério MarinhoDeputado Rogério Marinho (PSDB) propõe mudança no ECA e no Código Penal para evitar condicionar aluno a adotar “posicionamento político”; projeto deve ser votado após o recesso

O deputado federal Rogerio Marinho (PSDB-RN), titular da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, propôs, no último dia 6 de junho, uma lei que torna crime o “assédio ideológico” em ambiente escolar. O projeto prevê pena de detenção de três meses a um ano e multa, com possibilidade de aumento da punição, caso o ato seja praticado por educadores ou “afete negativamente a vida acadêmica da vítima”.

O projeto de lei pede alterações no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) para que seja incluído entre os direitos da criança e do adolescente “adotar posicionamentos ideológicos de forma espontânea, livre de assédio de terceiros”. O PL 1411/2015 também propõe alterações no Código Penal para incluir o crime de “expor aluno a assédio ideológico, condicionando o aluno a adotar determinado posicionamento político, partidário, ideológico ou constranger o aluno por adotar posicionamento diverso do seu, independente de quem seja o agente.”

Apesar da previsão da pena de detenção, o deputado disse que garante que nenhum professor será preso. “Serão processados os doutrinadores que vilipendiam o direito de aprender dos alunos e exorbitam da sua liberdade de cátedra. De acordo com o Código Penal, penas cujo total sejam inferiores a 4 anos terão cumprimento inicial em regime aberto e, de acordo com o texto apresentado, se condenado ao máximo, o doutrinador será sancionado em 1 ano e meio de detenção, que pode ser facilmente transigida, se assim for da vontade do Parquet (Ministério Público), em prestação de serviço comunitário ou pagamento de dias-multa.”

Para Marinho, a lei não causaria insegurança ao professor ou reduziria o espaço a debate, pelo contrário, garantiria que todas as ideologias fossem apresentadas. “Basta apresentar todas as vertentes interpretativas dos fenômenos estudados, sem fazer proselitismo, sem desvirtuar o fato, sem omitir dados e sem fazer indicações morais discutíveis”, diz.

A professora de Filosofia da Universidade de São Paulo (USP), Olgaria Chain Féres Matos, explica que as crianças e adolescentes não formam seus posicionamentos de forma “livre”. Cabe ao educador dar contextos e apresentar pluralidade para que construam aos poucos com critérios. “Os alunos ainda não dispõem de um repertório cultural amplo que permita decidir com segurança acerca de conteúdos disciplinares. No máximo, conseguem repetir opiniões veiculadas pela mídia ou as da família ou outros”, diz.

Ao longo de cinco páginas, o PL 1411/2015 utiliza-se de trechos de material de apoio elaborado para o próximo Congresso Nacional do PT, intitulado “Caderno de Teses”, para compor sua justificativa. Escrito por diferentes partidários do PT para evento que ocorrerá em junho, o documento apresenta trechos que, na visão do deputado tucano, instigam a doutrinação nas escolas.

Um exemplo: “Não haverá mudança social profunda no Brasil, se isto não for acompanhado por uma mudança cultural na visão de mundo da maioria da população brasileira. Necessitamos tornar hegemônicos os valores democráticos, populares e socialistas. Mas o que temos assistido desde 2003 é uma reação das ideias conservadoras em todos os terrenos. Isto se deve, em parte, ao fato de que não houve nenhuma mudança estrutural no terreno da cultura, da educação e da comunicação. Ao contrário: o grande capital e a direita não apenas mantiveram como ampliaram sua ofensiva em cada um destes terrenos.”

O secretário de Organização Nacional do PT, Florisvaldo Souza, afirmou que o projeto demonstra despreparo e má intenção do tucano. Ele afirma que o “Caderno de Testes” a que Marinho se refere é um documento em que partidários apresentam para debate orientações para o partido e projetos para o país. “Não são teses para escolas, mas para debate político. Se eles não têm cultura e partido para isso, eu lamento. É por isso que a oposição não tem projeto.”

A educação paulo-freiriana

O mais célebre educador brasileiro, autor da pedagogia do oprimido, defendia como objetivo da escola ensinar o (a) estudante a “ler o mundo” para poder transformá-lo. Esse é um dos principais motivos que levaram Paulo Freire (1921-1997) a ser considerado o mais célebre educador brasileiro, com atuação e reconhecimento internacionais. Conhecido principalmente pelo método de alfabetização de adultos que leva seu nome, ele desenvolveu um pensamento pedagógico assumidamente político.

Para Freire, o objetivo maior da educação é conscientizar o (a) estudante. Isso significa, em relação às parcelas desfavorecidas da sociedade, levá-las a entender sua situação de oprimidas e agir em favor da própria libertação. O principal livro de Freire se intitula justamente Pedagogia do Oprimido e os conceitos nele contidos baseiam boa parte do conjunto de sua obra.

Ao propor uma prática de sala de aula que pudesse desenvolver a criticidade dos (as) estudantes, Freire condenava o ensino oferecido pela ampla maioria das escolas (isto é, as “escolas burguesas”), que ele qualificou de educação bancária. Nela, segundo Freire, o (a) professor (a) age como quem deposita conhecimento num (a) estudante apenas receptivo, dócil.

Em outras palavras, o saber é visto como uma doação dos que se julgam seus detentores. Trata-se, para Freire, de uma escola alienante, mas não menos ideologizada do que a que ele propunha para despertar a consciência dos oprimidos. “Sua tônica fundamentalmente reside em matar nos educandos a curiosidade, o espírito investigador, a criatividade”, escreveu o educador. Ele dizia que, enquanto a escola conservadora procura acomodar os (as) estudantes ao mundo existente, a educação que defendia tinha a intenção de inquietá-los.


Semana Mundial do Aleitamento Materno >> Campanha visa mobilizar a sociedade para a importância da amamentação

Agosto é o mês de mobilização para uma causa de extrema importância para a saúde dos nossos bebês. Isso porque nesta primeira semana do mês é celebrada a Semana Mundial de Aleitamento Materno, que tem o objetivo de facilitar e fortalecer a conscientização social para a importância da amamentação. 

Em 2015, a campanha, promovida pela World Alliance for Breastfeeding Action (WABA) há mais de 20 anos em todo o mundo, terá como tema “Amamentação e Trabalho: Para dar certo, o compromisso é de todos”. A ideia é mostrar que a amamentação é um direito das mulheres que trabalham. No Brasil, a Semana é coordenada pelo Ministério da Saúde. 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), é recomendado o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade, e complementar até os dois anos. Além de todas as vantagens já conhecidas da amamentação, para a saúde tanto da criança quanto da mãe, o leite materno constitui o método mais barato e seguro de alimentar os bebês. 

Além disso, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) garante que é um dever do poder público, das instituições e dos empregadores proporcionar condições adequadas ao aleitamento materno, o que vai de encontro ao tema da campanha em 2015. 

Cenário da amamentação no Brasil
Dados do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional*, do Ministério da Saúde, mostram que ouve um avanço nos últimos anos, com relação ao número de bebês amamentados. Porém, ainda é possível melhorar, principalmente no que diz respeito ao aleitamento complementar até os 2 anos de idade. 

De acordo com os dados, em 2008, 75% dos bebês menores de 6 meses entre os avaliados se alimentaram exclusivamente com leite materno, número que subiu para 89% em 2014. Já com relação às crianças menores de 2 anos, que segundo a OMS devem receber aleitamento materno complementar, 33,21% não se alimentaram com leite materno, em 2014. 

Houve uma melhora no índice, com relação a 2008, quando 44,47% das crianças menores de 2 anos não recebiam aleitamento materno. Mas é necessário um avanço ainda maior, tendo em vista todos os benefícios do leite materno na saúde dos bebês, e para seu completo desenvolvimento. 

Hora do Mamaço
Para abrir a Semana, o grupo AMS Brasil (Apoio Materno Solidário) convocou um mamaço nacional para este sábado (1). A chamada Hora do Mamaço deve ocorrer em mais de 50 cidades, sendo 15 delas de Portugal. Na cidade de São Paulo, o evento será realizado em parceria com a Fundação Abrinq, a partir das 10h30, no Parque da Aclimação (Parquinho), com direito a um piquenique. 

Para consultar horários e locais da hora do mamaço, clique na página do evento, ou procure pela hashtag #horadomamaço.

*Dados do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional são periodicamente ponderados e passíveis de alterações. Última verificação em 18/05/2015.

domingo, 2 de agosto de 2015

Um sentimento que todos nós procuramos para nossas vidas...


Oportunidade de Emprego >> Prefeitura de Natal abre concurso para 1.339 vagas

As oportunidades são para cargos com exigência de ensino médio e nível superior, com iniciais de até R$ 5.062,63.


 
O prefeito de Natal, no Rio Grande do Norte, Carlos Eduardo, sancionou, no último dia 23 de julho, a lei complementar 151, que cria cargos e amplia o número de vagas da Secretaria Municipal de Saúde.

Com isto, estão sendo criadas 1.339 oportunidades, sendo 585 para cargos com exigência de ensino médio e 754 para nível superior, com remunerações iniciais que variam de R$ 998,68 a R$ 5.062,63, com jornadas de trabalho de 30 a 40 horas semanais.
 
A lei determina que o concurso público para preenchimento das oportunidades deve ser iniciado em um prazo de 180 dias, ou seja, até o início de 2016.
 
NÍVEL MÉDIO
As opções para nível médio são para os cargos de técnico de enfermagem do trabalho (duas vagas e inicial de R$ 1.027,20), técnico em prótese dentária (4, R$ 1.369,61), auxiliar de saúde bucal (40, R$ 998,68), técnico em operação em raio-X (35, R$ 1.369,61), técnico em enfermagem (390, R$ 1.027,20), técnico em saúde bucal (5, R$ 1.369,61), técnico em patologia clínica (26, R$ 1.369,61), técnico em saneamento (2, R$ 1.369,61), agente administrativo (50, R$ 1.043,80), auxiliar de farmácia (20, R$ 1.043,80), técnico de nutrição (6, R$ 1.060,84), técnico em edificações (1, R$ 1.060,84), técnico em montagem de microcomputadores e impressoras (2, R$ 1.060,84) e técnico em segurança do trabalho (2, R$ 1.060,84).
 
NÍVEL SUPERIOR
No caso de nível superior: enfermeiro do trabalho (2, R$ 2.568,02), médico do trabalho (4, R$ 3.424,03), assistente social (20, R$ 3.424,03), biólogo (6, R$ 3.424,03), biomédico (4, R$ 3.424,03), enfermeiro (190, R$ 2.568,02), farmacêutico (25, R$ 3.424,03), farmacêutico bioquímico (22, R$ 3.424,03), fisioterapeuta (6, R$ 3.424,03), fonoaudiólogo (8, R$ 3.424,03), médicos alergologista (2, R$ 3.424,03), anestesiologista (12, R$ 3.424,03), angiologista (2, R$ 3.424,03), cardiologista infantil (2, R$ 3.424,03), cardiologista (2, R$ 3.424,03), cirurgião geral (8, R$ 3.424,03), clínico geral (127, R$ 3.424,03), médico de saúde da família  (20, R$ 3.424,03), dermatologista (2, R$ 3.424,03), endocrinologista (2, R$ 3.424,03), endocrinologista infantil (2, R$ 3.424,03), gastroenterologista (2, R$ 3.424,03), geriatra (4, R$ 3.424,03), ginecologista (15, R$ 3.424,03), hematologista (2, R$ 3.424,03), homeopata (2, R$ 3.424,03), infectologista (2, R$ 3.424,03), mastologista (2,R$ 3.424,03), nefrologista (2, R$ 3.424,   03), neonatologista (2, R$ 3.424,03), neuro cirurgião (2, R$ 3.424,03), neurologista (2, R$ 3.424,03), neurologista infantil (2, R$ 3.424,03), obstetra (20, R$ 3.424,03), oftalmologista (2, R$ 3.424,03), oncologista (2, R$ 3.424,03), ortopedista (4, R$ 3.424,03), ortopedista infantil (2, R$ 3.424,03), otorrinolaringologista (2, R$ 3.424,03), pediatra (19, R$ 3.424,03), pneumologista (2, R$ 3.424,03), pneumologista infantil (2, R$ 3.424,03), proctologista (2, R$ 3.424,03), psiquiatra (23, R$ 3.424,03), radiologista (2, R$ 3.424,03), reumatologista (2, R$ 3.424,03), ultrassonografista (2, R$ 3.424,03), urgencista (30, R$ 3.424,03), urologista (2, R$ 3.424,03), médico veterinário (2, R$ 3.424,03), nutricionista (12, R$ 3.424,03), odontólogo (45, R$ 3.424,03), odontólogo buco maxilo-facial (2, R$ 3.424,03), odontólogo protesista (2, R$ 3.424,03), odontólogo radiologista (2, R$ 3.424,03), odontólogo endodontista (2, R$ 3.424,03), odontólogo periodontista (2, R$ 3.424,03), psicólogo (16, R$ 3.424,03), sanitarista (10, R$ 3.424,03), terapeuta ocupacional (2, R$ 3.424,03), administrador  (5, R$ 2.396,01), analista de sistemas sênior (2, R$ 2.396,01), arquiteto urbanista (1, R$ 5.062,63), arte educador (1, 2.396,01), contador (1, R$ 2.396,01), educador físico (10, R$ 2.396,01), educador social (3, R$ 2.396,01), engenheiro civil (1, R$ 5.062,63), engenheiro do trabalho (1, R$ 5.062,63), engenheiro eletricista (1, R$ 5.062,63), estatístico (1, R$ 2.396,01), geógrafo (1, R$ 2.396,01) e pedagogo (2, R$ 2.396,01).

Revista Veja é desmentida em seus ataques ao Governo Dilma


"Governo deve cortar mais R$ 2 bilhões no orçamento da Educação este ano", está foi a manchete do site da Revista Veja, desta quinta-feira (30/07/2015).

No dia seguinte (sexta-feira 31/07/2015), o site do G1 publicou a manchete: "Fies recebe R$ 5,1 bilhões de crédito extraordinário liberado por MP".

Segundo a matéria na revista mentirosa, "O governo vai fazer corte adicional de até 2 bilhões de reais no orçamento do Ministério da Educação deste ano que, se concretizado integralmente, amplia para mais de 11 bilhões de reais o bloqueio sobre os programas educacionais" (...) "Uma segunda fonte do governo disse que a tesoura será maior no MEC." Matéria publicada em (30/07/2015).

Nesta sexta-feira (31/07/2015), o site G1 publicou o seguinte: "Fies recebe R$ 5,1 bilhões de crédito extraordinário liberado por MP. Presidente Dilma e ministro do Planejamento liberaram R$ 9,8 bilhões para MEC. Decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (31).

A presidente Dilma Rousseff e o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, liberaram um crédito extraordinário de R$ 9,8 bilhões para o Ministério da Educação (MEC), de Encargos Financeiros da União e Operações Oficiais de Crédito. Do valor estabelecido, R$ 5,178 bilhões serão reservados ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). As informações foram publicadas na edição desta sexta-feira (31) do "Diário Oficial da União".

Trata-se de um crédito extraordinário por ser um valor concedido além do orçamento da Educação estipulado pelo governo federal.

Da quantia destinada ao Fies, R$ 4,2 bilhões serão utilizados para concessão de contratos do programa. Além disso, R$ 578 milhões serão usados para a administração do programa e R$ 400 milhões para integralização de cotas do Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (FGEDUC). Para a pós-graduação e educação superior, foram liberados R$ 35,8 milhões.

Do valor total liberado, R$ 4,6 bilhões serão utilizados pela subvenção econômica em Operações de Financiamento no âmbito do Programa de Sustentação do Investimento e do Programa Emergencial de Reconstrução de Municípios Afetados por Desastres Naturais. Matéria publicada em (31/07/2015).

Mais uma vez, a Revista Veja é desmentida em seus ataques ao Governo Dilma e ao PT. E ainda tem quem acredite nessa revista Veja mentirosa?

INFORMÁTICA >> Mercado de TI gera 1,3 milhão de empregos no Brasil


Resultado de imagem para INFORMÁTICA Mercado de TI gera 1,3 milhão de empregos no BrasilSegundo a consultoria Catho, de janeiro a junho deste ano, o número de vagas no setor de Tecnologia da Informação (TI) aumentou 44,2%. Só em junho, foram abertas 10.105 vagas, 3.640 a mais do que junho do ano passado. Dados da Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) mostram que o mercado nacional emprega, atualmente, 1,3 milhão de profissionais de TI e, até 2016, esse número deve aumentar em 30%. A pesquisa revela também que o Paraná possui 9% das instituições de ensino que oferecem cursos da área. O estado fica atrás apenas de Minas Gerais (11%) e São Paulo (27%).

As instituições privadas concentram 78% das matrículas na área, em todo o Brasil. Só no Paraná são mais de 14 mil alunos em cursos relacionados à TI. De acordo com dados do MEC, o curso superior de Tecnologia (ou tecnólogo) em Análise de Desenvolvimento de Sistemas foi o que mais formou profissionais de TI no Paraná, de 2010 a 2014, representando 36% dos profissionais formados na área - superando inclusive o curso de Bacharelado em Sistemas da Informação.

Para o professor Kristian Capeline, coordenador do Centro de Tecnologia da Informação (CTI) da Universidade Positivo, esse fator pode ser explicado porque os cursos tecnólogos são uma resposta eficiente à demanda da área.
- O mercado de TI evolui muito rapidamente e as instituições de ensino e os alunos têm que acompanhar as mudanças - alerta.

Os dados do último Censo da Educação Básica do Inep/MEC de 2014 mostram um aumento de 104,5% nas matrículas dos cursos tecnólogos nos últimos anos, frente aos de bacharelado e licenciatura. De 2009 a 2013, os números mais do que dobram.

Com duração de dois anos e meio, o curso tecnólogo incorpora a prática desde as primeiras aulas - e quem se forma nessa área já sai praticamente com emprego garantido. A média de salário é de R$ 8 mil a R$ 10 mil. Apenas no curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas do Centro Tecnológico Positivo, 93% dos alunos, incluindo os calouros, já estão empregados.

Mas segundo projeções dos índices Índice Geral de Cursos (IGC, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa, o Inep), Caged, e do MEC, a formação dos profissionais de TI não acompanhou o aumento da demanda de mercado no Paraná. Até 2009, eram 1.887 profissionais formados para 1.231 vagas disponíveis. Em 2014 foram registradas 5.178 vagas e apenas 2.802 formandos. No estado de São Paulo, essa diferença é ainda mais gritante: 50.768 vagas para 15.068 profissionais formados em 2014. Na pesquisa realizada pela Brasscom em 8 estados do Brasil, a diferença entre os saldos das funções e o número de concluintes associados ao setor de TI é de 134% - o que significa mais de 50 mil postos de trabalho esperando por um profissional qualificado. Um estudo da Softex projeta um déficit de 400 mil profissionais no Brasil até 2022. Atualmente, empresas demoram até 70 dias para preencherem suas vagas, tempo que pode gerar um significativo impacto na operação de uma organização.

Do total de vagas disponíveis para esses profissionais, 32% estão na cidade de São Paulo, que concentra o maior número de oportunidades. No Rio de Janeiro estão 9,77% das vagas e, na seqüência, estão Porto Alegre (6,23%), Curitiba (4,78%) e Belo Horizonte (3,66%). Os cargos que apresentam a maior demanda são: analista de sistemas, de programação, de suporte técnico, de processos, técnico de telecomunicações, analista de rede, gerente de projetos, administrador de redes, webmaster e técnico de hardware.

Estudo: 78% dos executivos acreditam que digitalizar negócios aumenta receitas
Um estudo global encomendado pela Dell e realizado pelo IDG Research Service, identificou que a Transformação Digital está hoje cada vez mais na pauta das empresas. De acordo com o levantamento, realizado com decisores de diversas áreas de negócio das organizações, 78% dos entrevistados confirmaram que acreditam na Digitalização como uma forma de impulsionar receitas. Quando considerados apenas os gestores de TI, esse mesmo percentual cai para 58%.
O estudo mostra que, por outro lado, 70% dos entrevistados admitem que suas empresas ainda não estão totalmente preparadas para a Transformação Digital e precisam fazer alterações nas atuais estruturas para tirar proveito dessa tendência.
- O avanço de tecnologias, como análise de dados, mobilidade, mídias sociais e cloud computing, tem dado um poder inigualável para as corporações, ao permitir novos modelos de negócios e processos, bem como criar formas inovadoras de interação com clientes, parceiros e funcionários - afirma Ricardo Velasco, diretor de Serviços da Dell Brasil.
Ainda segundo ele, ?as empresas que aproveitarem essas oportunidades ao adotar uma abordagem focada na digitalização têm hoje uma enorme vantagem competitiva. Apesar disso, esse levantamento mostra que poucas corporações já estão preparadas para esse movimento, por meio do qual podem criar ofertas inovadoras, aumentar receitas, reduzir custos e despesas operacionais e ganhar mais agilidade.?
Quanto às áreas mais avançadas atualmente nesse processo de digitalização dos negócios, 54% dos entrevistados citaram a TI, 40% o departamento de Operações e 33% o website/e-commerce. Entre os principais benefícios da Transformação Digital, a pesquisa apontou que os cinco tópicos mais citados pelos entrevistados são: eficiência operacional, agilidade nos negócios, aumento da produtividade das equipes, vantagens competitivas e crescimento de receitas.
Já quanto aos desafios que devem ser superados para que as empresas digitalizem suas operações, 73% dos profissionais apontaram a necessidade de mudança da mentalidade e da cultura corporativa. Quando questionados sobre as áreas que devem ter mais dificuldades na migração, 28% apontaram o departamento de finanças, 25% as áreas operacionais e 17% o Atendimento ao Cliente.
- Aqui no Brasil, temos identificado que a Digitalização dos Negócios representa um tema importante. No entanto, muitas empresas ainda têm dificuldade de implementação ? informa Velasco, para quem ?como resposta, hoje temos um portfólio completo de Soluções e Serviços voltados a ajudar as corporações a evoluir suas atuais infraestruturas de TI, com o intuito de prepará-las para essa economia digital, por meio de ambientes definidos por software, que sejam escaláveis, ofereçam respostas ágeis e garantam uma boa experiência dos clientes em todos os canais de atendimento.? 


Agora é lei >> Mãe pode registrar filho no cartório sem presença do pai


Resultado de imagem para Agora é lei: mãe pode registrar filho no cartório sem presença do pai
Agora as mães já poderão se dirigir aos cartórios para providenciar o registro de nascimento de seus filhos. A autorização está prevista na Lei 13.112/2015, publicada no Diário Oficial da União. A norma sancionada pela presidente Dilma Rousseff equipara legalmente mães e pais quanto à obrigação de registrar o recém-nascido.

Conforme o texto, cabe ao pai ou à mãe, sozinhos ou juntos, o dever de fazer o registro no prazo de 15 dias. Se um dos dois não cumprir a exigência dentro do período, o outro terá um mês e meio para realizar a declaração.
Antes da publicação da lei, era exclusiva do pai a iniciativa de registrar o filho nos primeiros 15 dias desde o nascimento. Apenas se houvesse omissão ou impedimento do genitor, é que a mãe poderia assumir seu lugar.
O texto que deu origem à Lei (PLC 16/2013) foi aprovado pelo Senado no dia 5 de março.

Declaração de nascido

O texto deixa claro que será sempre observado artigo já existente na Lei dos Registros Públicos (Lei 6.015/1973) a respeito da utilização da Declaração de Nascidos Vivos (DNV) para basear o pedido.
Pelo artigo citado (artigo 54), o nome do pai que consta da DVN não constitui prova ou presunção da paternidade. Portanto, esse documento, emitido por profissional de saúde que acompanha o parto, não será elemento suficiente para a mãe indicar o nome do pai, para inclusão no registro.
Isso porque a paternidade continua submetida às mesmas regras vigentes, dependendo de presunção que decorre de três hipóteses: a vigência de casamento (artigo 1.597 do Código Civil); reconhecimento realizado pelo próprio pai (dispositivo do artigo 1.609, do mesmo Código Civil); ou de procedimento de averiguação de paternidade aberto pela mãe (artigo 2º da Lei 8.560/1992).
Fonte: Agência Senado 

sábado, 1 de agosto de 2015

Política >> A composição do Congresso Nacional indica o tipo de representação que temos em Brasilia


Convocatória >> SEEC divulga a listagem dos convocados para o cargo de professor temporário

Foto de Secretaria da Educação e da Cultura do RN.Em ato público no Diário Oficial do Governo do Estado do Rio Grande do Norte desta sexta-feira (31), a Secretaria de Educação e Cultura do RN convoca 167 professores temporários para suprir necessidades no quadro de educadores da rede estadual de ensino.  

Os convocados deverão se apresentar às Diretorias Regionais de Educação e Cultura (DIRECs), com a documentação descrita abaixo no prazo de 30 dias (contados a partir de hoje, 31/07). 

1.1  Diploma de conclusão de curso com habilitação para o cargo 
1.2  Documentos de Identificação 
a) Atestado de Saúde Ocupacional (ASO), habilitando o candidato para o exercício do cargo, expedido por médico do trabalho. 
b) Cópia de Cédula de Identidade 
c) Comprovante de residência 
d) Cópia do Título de Eleitor e Comprovação de Quitação Eleitoral 
e) Cópia de Cadastro de Pessoa Física – CPF 
f) Cópia do PIS ou PASEP 
g) Cópia da Certidão de Reservista ( sexo masculino) 
h) Cópia de Certidão de Nascimento ou Casamento 
i) Cópia da CTPS- Carteira de Trabalho e Previdência Social( página com foto- frente e verso e contrato de trabalho) 
j) Número da Conta bancária  e Agência em nome do Titular do Contrato ( conta do Banco do Brasil) k) Certidão negativa de antecedentes criminais expedidas pelas Justiças estadual e federal, assim como pela Polícia Civil da localidade em que o candidato possuir residência nos últimos cinco anos.     

SEEC/ASSECOM

Ações regulatórias garantem abastecimento em cidades da bacia do Piranhas-Açu 31/7/2015

Rio Piranhas (PB)
chamada
Em situações de escassez, o uso prioritário dos recursos hídricos é o consumo humano e a dessedentação de animais. Este é um dos fundamentos da Política Nacional de Recursos Hídricos que vem balizando a atuação da Agência Nacional de Águas (ANA) e dos órgãos gestores estaduais de recursos hídricos na gestão das águas da bacia do rio Piranhas-Açu, na Paraíba e no Rio Grande do Norte. Como resultado desta atuação, que paralisou a irrigação e aquicultura em trechos do Piranhas-Açu e do rio Piancó, o abastecimento de quatro cidades potiguares foi normalizado: Caicó, Jardim de Piranhas, São Fernando e Timbaúba dos Batistas.

As quatro cidades do Rio Grande do Norte chegaram a ficar com o abastecimento prejudicado por aproximadamente 15 dias. No entanto, os municípios voltaram a ter água a partir da paralisação da captação de águas superficiais para irrigação e da aquicultura a partir de 1º de julho para o trecho do rio Piancó a jusante (rio abaixo) do Açude Curema e para o Piranhas-Açu no trecho entre o encontro do Piancó e o açude Armando Ribeiro Gonçalves. As atividades de aquicultura incluem a criação de camarões, peixes e demais usos aquícolas.

Esta medida foi determinada pela Resolução Conjunta nº 640/2015, assinada pela ANA, pelo Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn) e pela Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa). A determinação foi adotada em função da seca que vem ocorrendo na região e no Semiárido como um todo nos últimos anos, o que reduziu a disponibilidade hídrica dos rios e açudes da bacia. Além disso, há risco de a estiagem ser severa também no ano que vem, devido ao fenômeno climático El Niño.

A Resolução Conjunta nº 640/2015 envolve seis municípios da Paraíba (Coremas, Cajazeirinhas, Pombal, Paulista, Riacho dos Cavalos e São Bento) e outros três do Rio Grande do Norte (Jardim de Piranhas, São Fernando e Jucurutu). A ANA realizou reuniões com usuários de água da região na Paraíba e no Rio Grande do Norte, em maio, para difundir as novas regras antes de entrarem em vigor.

Além da paralisação do uso das águas superficiais, também está interrompida a captação de águas subterrâneas para irrigação e aquicultura na faixa de 100 metros das margens dos mesmos trechos dos rios Piancó e Piranhas-Açu. Os usos outorgados pela Aesa e pelo Igarn que captem água do cristalino permanecem autorizados.

No açude Curema, na Paraíba, o último volume medido foi 101,23hm³, o equivalente a 17% de sua capacidade de armazenamento (591,65hm³). A situação do açude Mãe d’Água também requer atenção, pois há somente 20,22% dos 568hm³ de água que o reservatório pode acumular. Um hectômetro cúbico (hm³) equivale a um bilhão de litros.

Desde 2013, a ANA vem intensificando ações regulatórias em rios e reservatórios da União no Semiárido a fim de garantir os usos múltiplos dos recursos hídricos e, sobretudo, priorizar o abastecimento humano e animal em caso de escassez, conforme determinada a Lei nº 9.433/1997, que estabeleceu a Política Nacional de Recursos Hídricos.

No Brasil, de acordo com a Constituição Federal, as águas superficiais de rios transfronteiriços ou interestaduais são de gestão federal. No caso das águas superficiais de rios com nascente e foz dentro dos limites dos estados e também para todas as águas subterrâneas, a gestão é estadual.
Texto:Raylton Alves - Ascom/ANA

Patrimônio arqueológico >> MPF quer medidas de proteção a sítio arqueológico no Seridó

Resultado de imagem para MPF quer medidas de proteção a sítio arqueológico no SeridóObras da Adutora do Seridó oferecem riscos à preservação do Sítio Arqueológico Serrote de Areias

O Ministério Público Federal (MPF) em Caicó recomendou ao Governo do Estado e à Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh/RN) que adotem medidas para proteger o Sítio Arqueológico de Arte Rupestre Serrote de Areias. Um inquérito civil apurou que as obras da Adutora do Seridó geram impactos na área e podem colocar em risco o patrimônio histórico.

Na recomendação, assinada pelo procurador da República Bruno Lamenha, o MPF requer a apresentação de um laudo arquelógico referente aos danos causados no trecho de obras já executadas da adutora, entre Parelhas e Carnaúba dos Dantas, já com a definição das medidas a serem adotadas para reduzir os possíveis impactos e garantir a preservação do local. O documento deve ser apresentado em 45 dias, com aprovação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Em agosto de 2014, a arqueóloga Rosiane Limaverde elaborou um laudo arqueológico, a pedido da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, e identificou que o sítio se encontra em área de risco, e sua vulnerabilidade foi acentuada pelos impactos gerados pela construção da adutora. No último mês de fevereiro, o Iphan encaminhou ofício à Semarh para solicitar ações de redução dos impactos da obra.

As medidas sugeridas incluíam a não utilização de explosivos para a abertura de acessos ao subsolo e o cercamento no limite de 114 metros que separam o sítio da área do empreendimento. O MPF recomenda ainda que os gestores promovam um inventário de referências culturais do Distrito Cobra, no Município de Parelhas. O governo e a Semarh devem também elaborar um Programa de Arquelogia Pública para abordar o potencial da área, como medida compensatória.

Caso a obra já esteja concluída, será necessária a avaliação de danos dirigidos ao sítio arqueológico e seus painéis rupestres, com o objetivo de diagnosticar eventuais impactos sobre as pinturas e gravuras. Se forem detectados danos diretos, o governo e a Semarh devem promover serviços especializados de conservação dos painéis rupestres. Uma nova reunião entre MPF, Iphan e secretaria está marcada para o dia 6 de agosto, para tratar da questão.