sábado, 6 de outubro de 2018

ELEIÇÕES 2018 >> Fiquem atentos ao que pode e ao que não pode no dia da votação

Resultado de imagem para dia da eleição
Neste domingo (7), eleitores irão às urnas em todo o país para escolher os futuros governantes. Pela Lei Eleitoral, os eleitores precisam respeitar algumas regras nos locais e no dia da votação.

Uso de bandeiras e camisetas do candidato

O eleitor pode demonstrar a preferência por um candidato, desde que seja de maneira individual e silenciosa. São permitidas bandeiras sem mastro, broches ou adesivos no local de votação. Uso de camisetas foi liberado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O eleitor poderá usar a camiseta com nome de seu candidato preferido, sem fazer propaganda eleitoral a favor dele. A camiseta não pode ser distribuída pelo candidato.

Cola eleitoral

O eleitor pode levar, em papel, os números dos candidatos anotados. A cola eleitoral (imprima aqui)  é permitida e recomendada pela Justiça Eleitoral, pois o eleitor irá votar para cinco cargos (deputado federal, deputado estadual ou distrital, dois senadores, governador e presidente). Não é permitida a "cola" em celular na hora de votar.

Uso de celular e tirar selfie

Na cabine de votação, celulares, máquina fotográficas, filmadoras ou outro dispositivo eletrônico não são permitidos. Os equipamentos podem corromper o sigilo do voto, ou seja, não pode tirar selfie na hora da votação ou tirar foto do voto. O eleitor que baixou o e-Título vai apresentá-lo ao mesário e depositará o celular em uma mesa enquanto estiver na cabine de votação. Ao final, o aparelho será devolvido pelo mesário.

Acompanhante

O eleitor com deficiência ou mobilidade reduzida poderá contar com o auxílio de pessoa de sua confiança na hora de votar, mesmo que não tenha feito o pedido antecipadamente ao juiz eleitoral.

Alto-falante e carreatas

Uso de alto-falantes, caixas de som, comícios e carreatas são proibidos.

Boca de urna

Tentar convencer um eleitor a votar ou não em um candidato é proibido. A propaganda de boca de urna também não é permitida. São consideradas boca de urna, por exemplo, a distribuição de panfletos e santinhos de candidatos, a aglomeração de pessoas usando roupas uniformizadas ou manifestações nas proximidades das zonas eleitorais.

Bebida alcoólica

A legislação eleitoral proíbe a venda de bebida alcoólica das 6h até as 18h no dia da eleição. No entanto, cabe a juízes e às Secretarias de Segurança Pública de cada unidade da Federação decidirem sobre a proibição da venda e do consumo nos estados ou até em cidades.

Para quem deseja um RN e um Brasil melhor, mais justo e fraterno vota assim:

Nenhum texto alternativo automático disponível.

O nosso recado de hoje!


Pesquisas nunca foram favoráveis ao PT e ganhamos 4 eleições....Agora vamos repetir o feito, vai dá PT, vai dá 13 💃💃💃💃👏👏👏👏 É penta

HOJE É UM DIA ESPECIAL PARA A DEMOCRACIA >> O aniversário é de Lula, mas o presente pode ser para todos os brasileiros!

A imagem pode conter: texto

Nossos parabéns e nosso agradecimento a você eterno Presidente Lula, por tudo que fizeste e que representas para o povo mais pobre e para o trabalhadores(as) desse país. Por seres o símbolo maior da resistência e da vitória, mostrando que alguém que "se enquadra nos padrões da elite" pode também chegar lá e fazer a diferença!

E mesmo encarcerado injustamente, mostras a cada momento que teu legado extrapola as grades da  continua conosco mostrando o caminho para a construção de um pais melhor, mais justo e fraterno!

Muito obrigado Lula! Guerreiro do Povo brasileiro! 

Estamos com você e Haddad!

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

SINDÁGUA/RN >> Lutando contra a privatização e o alto custos desses serviços


RUMO A VITÓRIA >> Consult: Haddad abre 10 pontos de vantagem sobre Bolsonaro no RN

Fernando Haddad (PT) lidera a corrida presidencial entre os eleitores do Rio Grande do Norte. É o que aponta a pesquisa estimulada da Consult divulgada terça-feira (2), na qual o candidato do PT aparece com 33,12%.
O segundo colocado é o capitão do Exército Jair Bolsonaro (PSL), que obteve 22,94% das intenções de voto. Ciro Gomes aparece em terceiro, com 13,53% das citações. O tucano Geraldo Alckmin chegou a 2,41% e a candidata da Rede Marina Silva foi lembrada por 2,29% do eleitorado.
O Nordeste é a única região do país onde Fernando Haddad tem maioria de intenções de voto sobre Bolsonaro.
Haddad também vence Bolsonaro no RN na pesquisa espontânea, quando nenhum nome é apresentado aos eleitores. A diferença é um pouco menor, mas ainda assim acima da margem de erro. O candidato do PT foi citado por 26,6% dos eleitores, enquanto o representante da extrema-direita obteve 19,6% das citações, uma diferente de 7 pontos percentuais.
A candidata de Fernando Haddad no estado potiguar também lidera com folga as pesquisas para o Governo do Estado. Na mesma pesquisa Consult Fátima Bezerra (PT) apareceu com 36% das intenções de voto. O segundo colocado é o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT), que obteve 24,7%. O atual governador Robinson Faria (PSD), que tenta a reeleição, é o terceiro colocado e foi citado por 11,47%.
Fátima é a candidata de Fernando Haddad e Carlos Eduardo Alves é o candidato de Ciro Gomes à presidência da República. Embora o PSD tenha feito uma aliança o plano nacional e local com o PSDB de Geraldo Alckmin, o governador Robinson Faria afirmou, no final da semana passada, que simpatiza com a candidatura de Jair Bolsonaro.
Nacional
Em nível nacional, as posições se invertem e Jair Bolsonaro aparece na frente de Fernando Haddad. Na pesquisa mais recente do Instituto Ibope, divulgada segunda-feira, o candidato do PSL tem 32%, enquanto o petista parece com 22%. Num eventual segundo turno, Bolsonaro e Haddad estão numericamente empatados, também segundo o Ibope, com 42%, cada.

O RISCO QUE A DEMOCRACIA ESTÁ CORRENDO >> Candidatos do PSL destroem placa com homenagem a Marielle Franco

O candidato a deputado estadual pelo partido de Jair Bolsonaro (PSL) e ex-candidato a vice-prefeito do Rio, em 2016, na chapa de Flávio Bolsonaro, Rodrigo Amorim postou foto no Facebook após destruir uma homenagem a Marielle Franco, vereadora do PSOL assassinada em 14 de março.
Amorim contou na postagem que, com o candidato a deputado federal Daniel Silveira, do mesmo partido, quebrou ao meio uma placa de nome de rua onde se lia Rua Marielle Franco. Aliados da vereadora assassinada tinham colocado a inscrição em uma das esquinas da Praça Floriano, na Cinelândia, onde fica a sede da Câmara Municipal.
No texto, Amorim afirmou que, em uma suposta “depredação do patrimônio público, (aliados de Marielle) removeram ilegalmente” a placa com o nome original, “colando uma placa fake (falsa) com os dizeres ‘Rua Marielle Franco’ em cima da placa original”. O candidato continua: “Cumprindo nosso dever cívico, removemos a depredação e restauramos a placa em homenagem ao grande marechal”. E conclui: “Preparem-se, esquerdopatas: no que depender de nós, seus dias estão contados”.
Na publicação, Amorim defende a punição a quem houver assassinato Marielle, e reclama que a esquerda se calou diante da morte de outras pessoas e da facada desferida contra Bolsonaro.
“É respeitável que o Jair, meu colega na Câmara, não tenha manifestado pesar quando Marielle morreu, como nós prontamente fizemos quando um criminoso o esfaqueou. Cada um reage como é do seu jeito, e não há nenhum problema nisso”, afirmou o deputado federal e candidato a senador Chico Alencar (PSOL). “Mas destruir uma homenagem a uma vereadora assassinada e se gabar disso é barbárie, é inacreditável”, continuou.
O deputado estadual Marcelo Freixo, candidato a deputado federal pelo PSOL, afirmou já ter levado o caso à polícia: “Já pedi ao delegado Fábio Cardoso (da Delegacia de Homicídios, que investiga a morte de Marielle) que tome o depoimento desse rapaz. É preciso saber por que ele tem tanto ódio da Marielle”, disse Freixo.

CRIME AMBIENTAL >> Deputados acabam com mais de meio milhão de hectares de áreas protegidas

Sem nenhuma manifestação contrária, deputados da Assembleia Legislativa de Rondônia fizeram desaparecer, em menos de uma hora de discussão, mais de meio milhão de hectares de áreas protegidas na Amazônia. De uma só vez, na última semana, os parlamentares riscaram do mapa onze unidades de conservação no estado.
A tramitação se deu em tempo recorde: o projeto foi protocolado na Assembleia na parte da manhã e, à tarde, já estava aprovado.
Os deputados já haviam tentado extinguir as áreas em março, mas a tentativa foi barrada pela Justiça. (Foto, WWF)
Encarregado de apresentar em plenário parecer sobre a proposta, em nome das comissões da casa, o deputado Léo Moraes (PTB) gastou apenas dois minutos para concluir que as áreas deveriam ser extintas, sem qualquer debate com a sociedade e sem qualquer estudo técnico. “Por ter o clamor de toda sociedade e o apelo dos deputados estaduais, somos favoráveis ao projeto e à emenda para que possamos extinguir as reservas e trazer o desenvolvimento sustentável e responsável ao Estado”, disse.
Surpresa
O combinado, porém, segundo ele, era extinguir apenas uma das unidades de conservação criadas pelo governo do estado, a maior delas: a Estação Ecológica Soldado da Borracha, de 178.948 hectares, entre os municípios de Porto Velho e Cujubim. Isso era o que propunha o projeto de lei complementar 242/2018, enviado à Assembleia pelo governo – e protocolado às 10h30 da manhã.
Ao entrar em discussão no plenário, no entanto, o PLC recebeu uma emenda coletiva propondo a extinção não só dessa unidade de conservação, mas de todas as onze unidades criadas pelo governo do estado em março deste ano, e assim foi aprovado. Os deputados já haviam tentado extinguir as áreas em março, mas a tentativa foi barrada pela Justiça.
Fonte: https://www.seapac.org.br/blog/deputados-acabam-com-mais-de-meio-milh%C3%A3o-de-hectares-de-%C3%A1reas-protegidas

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

ELEIÇÕES 2018 >> O que está em jogo nestas eleições....


Tenho sempre buscado esclarecer sobre o que está realmente em jogo nessas eleições. independente até das questões simplesmente partidárias. Pois observo que a democracia nunca correu tanto risco quanto agora. e para comprovar essa afirmação, basta tomarmos conhecimento do que o mundo está prevendo para o Brasil, quando se refere ao candidato Bolsonaro que tem demonstrado não ter plano de governo, equilíbrio emocional, nem conhecimento mínimo necessário para uma função de chefe de Estado. Basta tentarmos ler, ouvir ou entender o que ele tem apresentado como sua plataforma de campanha.

Faço essa afirmação por observar a forma como determinados grupos adeptos ao que temos mais conservador, discriminatório e violento tem agido, na busca para defender suas ideias. E em nome disso, esquecem as questões humanitárias, sociais e cidadãs que devem ser o princípio de qualquer sociedade que se considere civilizada e cristã.

Usando uma comparação histórica percebo que esse modelo social defendido pelos seguidores de Bolsonaro, faria com que voltássemos ao período sombrio da caça às bruxas.  Escolhi a figura acima para demonstrar o que nos aguarda, se por acaso o Bolsonaro viesse a conseguir êxito nessa eleição.

Ainda bem que estamos na luta, vamos vencer e miais uma derrotar toda essa onda conservadora que insiste em nos rodear!

Viva a Democracia!
viva a Liberdade!
Viva a Luta!
viva a Lula, Haddad e Manuela!

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA >> Congresso da OMS debate poluição do ar em todo o mundo

Organização Mundial da Saúde (OMS) realiza, entre 20 de outubro e 1º de novembro, em Genebra, na Suíça, o primeiro congresso global sobre poluição do ar, para debater as recomendações aos 193 países-membros visando melhorar o meio ambiente.
Para preparar a participação brasileira no congresso, o presidente do Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental (Proam), Carlos Bocuhy, também conselheiro do Conama, fez ontem, dia 25, exposição na OMS, com novas recomendações que permitam melhorar as políticas públicas para a qualidade de ar no País.Segundo Bocuhy, o Brasil ainda conta com padrões de controle da poluição de 1990, extremamente defasados frente ao conhecimento médico-científico atual.
Ele também defende que é necessário melhorar a forma de orientação dada pela OMS aos países-membros de modo a provocar mudanças efetivas.”As recomendações da OMS, embora sejam fundamentais, infelizmente deixam em aberto um grande espaço subjetivo sobre a implementação nos países menos desenvolvidos”, diz Bocuhy.
Com isso, de acordo com o presidente do Proam, setores industriais e governamentais do Brasil não se sentem na obrigação de adotar os padrões mais modernos. “Eles não querem assumir o ônus das mudanças, em que pese a Constituição Federal determinar o direito ao meio ambiente saudável.”As guias de qualidade do ar da OMS, conforme Bocuhy, são destinadas ao uso em todo mundo, mas foram elaboradas para respaldar medidas orientadas a se obter uma qualidade de ar que proteja a saúde pública em situações distintas.
As normas de cada país variam em função da viabilidade tecnológica, os aspectos econômicos e outros fatores políticas e sociais, que dependem do nível de desenvolvimento e a capacidade nacional. “No caso do Brasil, as autoridades vêm se esquivando da obrigação de seguir os padrões, sob o argumento de que o país estaria enquadrado em um nível menor de desenvolvimento, o que é um grave e irreparável equívoco e que provoca milhares de mortes”, diz Bocuhy.
De acordo com ele, atualmente a falta de um controle mais efetivo na poluição do ar provoca a morte anual de 7 milhões de pessoas em todo o mundo e de 51 mil apenas no Brasil, conforme dados da OMS de maio último. “Os custos em mortes prematuras e para a saúde pública nas 29 metrópoles brasileiras são estimados em US$ 1,7 bilhão, segundo estudos de pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.”
Fonte: Portal ODS

O VOTO QUE O POVO QUER >> Consult: Fátima se aproxima de vitória no primeiro turno


A senadora Fátima Bezerra teria 47,9% dos votos válidos se a eleição fosse hoje, de acordo com a pesquisa Consult divulgada nesta terça-feira (02) pelo Blog do BG. Neste cenário, Carlos Eduardo Alves teria 32,93% e Robinson Faria teria 15,28%.
Nesse cálculo, semelhante ao feito pelo TSE, são excluídos eleitores que declaram voto branco, nulo e indecisos. Pela margem de erro, que é de 2,3%, Fátima tem entre 45,7% e 50,2% dos votos válidos. Com mais de 50% ela venceria no primeiro turno.
Considerando as demais opções do levantamento, a candidata do PT tem 36% de intenções de voto na pesquisa estimulada, quando os nomes de todos os candidatos são apresentados aos entrevistados.
O ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), aparece em segundo lugar com 24,71% das citações. Depois dele, o governador Robinson Faria (PSD), candidato à reeleição, tem 11,47% das citações.
Breno Queiroga (Solidariedade) marcou 1,82% nesse levantamento, em que os demais não alcançaram um ponto percentual.
Nulos e nenhum são 16,88% e 8,06% não souberam ou não quiseram responder.
A pesquisa foi realizada de entre os dias 26 e 29 de setembro, com 1.700 entrevistas, em todas as 12 regiões do Estado. Sua margem de erro é 2,3% e o intervalo de confiança de 95%, o que significa que a cada 100 resultados, 95 deles estarão dentro da margem de erro. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob os protocolos RN-06487/2018 e BR-05180/2018.
Rejeição
O governador Robinson Faria continua liderando a rejeição do eleitorado potiguar, com 37,5%. A senadora Fátima Bezerra aparece atrás com 16,5% das citações. O ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves tem 8,5%. E os demais não pontuaram acima de um ponto percentual

EXTENSÃO >> Docente do Campus Lajes desenvolve projeto de Manutenção de computadores nas instituições públicas da microrregião de Angicos

Docente do Campus Lajes desenvolve projeto de Manutenção de computadores que visa dar suporte às instituições públicas da microrregião de Angicos professor da disciplina "Organização e Manutenção de Computadores" do IFRN Campus Avançado Lajes, Jomar Ferreira, está implementando o projeto intitulado “Em Manutenção: Ação Solidária do IFRN Lajes nas escolas da Microrregião de Angicos”, que visa ofertar às instituições públicas serviços como realização de manutenção preventiva e/ou corretiva em computadores de forma gratuita.
A ação solidária, que prevê também ações como limpeza interna nas máquinas em geral, substituição de pasta térmica, instalação de Sistemas Operacionais e de Softwares, configurações da rede, e outros serviços, é executada pelas turmas do 3º ano (matutino e vespertino) do curso Técnico Integrado em Informática.
Para o professor Jomar Ferreira, esta é uma iniciativa singular que permite ao aluno não somente o exercício prático dos conteúdos trabalhados no ambiente escolar, mas também, de valores como a solidariedade.
"É gratificante ver que o nosso aluno entendeu a mensagem, abraçou a causa e que, acima de tudo, se sente feliz em poder contribuir com os ambientes, inclusive, dos quais muitos já usufruíram", finaliza o professor.

Fonte: http://portal.ifrn.edu.br/campus/lajes/noticias/docente-do-campus-lajes-desenvolve-projeto-de-manutencao-de-computadores-que-visa-dar-suporte-as-instituicoes-publicas-da-microrregiao-de-angicos

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

TSE considera campanha política dentro de igrejas como abuso de poder econômico e crime eleitoral

image.png
Foto: culto realizado em maio de 2018/ Gospel Mais
O poder de persuasão dos líderes religiosos sobre os fiéis nestas eleições está preocupando a Justiça Eleitoral do Rio de Janeiro. Uma força-tarefa de fiscais tem percorrido templos e igrejas, de todas as religiões, para fiscalizar, flagrar, coibir e multar o que já é chamado de abuso do poder religioso. O objetivo, segundo o procurador regional eleitoral, Sidney Madruga, é evitar desequilíbrio na disputa, garantindo isonomia a todos os candidatos.
Dentro das prioridades, nestas eleições, está o combate ao abuso do poder religioso. Há um monitoramento para saber se o líder religioso está pedindo votos ou distribuindo kits para determinado candidato. Esta situação já foi caracterizada pelo TSE [Tribunal Superior Eleitoral] como abuso de poder econômico, já que não existe a figura do abuso de poder religioso. O uso indevido e irregular, da igreja ou do templo, não deixa de ter um reflexo econômico.
Destacou Madruga, conhecido no estado pelo rigor na denúncia de crimes eleitorais.
Segundo ele, os fiscais do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estão atuando em missas e cultos sem os coletes de identificação, com objetivo de juntar provas, que incluem fotos e filmagens. 
Um caso recente, flagrado pelos fiscais no final de agosto, ocorreu no Rio.
Panfletos estavam sendo distribuídos do lado de fora e, do lado de dentro, o pastor dizia que tinha um candidato, mas que não poderia falar quem era. Ele foi filmado. Isto configurou propaganda irregular, crime eleitoral.
O procurador eleitoral explicou que o objetivo do endurecimento na fiscalização é evitar desequilíbrio no pleito.
É uma das nossas prioridades o combate ao abuso do poder religioso para garantir a competitividade entre os candidatos e a higidez [saúde] eleitoral, assim como o combate às fake news.
Para ele, ao favorecer um candidato, as igrejas provocam um desequilíbrio na competição, ao discriminar os demais.
Isto pode entrar inclusive no terreno da discriminação, ao favorecer um candidato com milhares de fiéis, excluindo os outros candidatos, que teriam a mesma chance, se não houvesse tal favorecimento. Proporciona vantagem para um determinado candidato e desvantagem aos outros. Isto deve ser combatido.
Madruga ressaltou que o endurecimento na fiscalização é direcionado a todas as religiões. 
Estado laico
O procurador eleitoral frisou a necessidade de se buscar a separação entre Estado e religião:
É importante que todos busquem a laicidade. Temos que garantir o protagonismo do eleitor. Todos os órgãos têm que estar envolvidos na garantia da laicidade, porque isto está na Constituição. Não podemos misturar religião com política, cada um tem o seu papel.
E advertiu: 
O que nós esperamos é um comportamento de civilidade e cidadania dos líderes religiosos. No caso do Rio de Janeiro, a procuradoria eleitoral e a polícia estão de olho, fiscalizando as condutas irregulares com muito rigor. Essas pessoas que transgredirem a lei, em desrespeito ao processo democrático, tentando influenciar a vontade do eleitor, serão punidas, mediante a legislação eleitoral.
Madruga afirma não ter dúvidas de que as ações desenvolvidas por igrejas em apoio a candidatos sejam um esquema organizado, não apenas casos isolados.
Esta questão não é espontânea. Tem um direcionamento, uma ordem, de cima para baixo, toda uma artimanha política.
O valor das multas vai de R$ 5 mil a R$ 30 mil, para os responsáveis e os beneficiários, no caso os candidatos, que poderão ter o registro e o diploma cassados, se eleitos. Além das fiscalizações presenciais, nas igrejas, já está ocorrendo o monitoramento das redes sociais, programas de rádio e de televisão. Denúncias devem ser feitas ao TRE e à PRE.
 TRE
No início da semana, o assunto foi abordado no TRE, durante reunião entre os juízes responsáveis pela fiscalização da propaganda eleitoral e representantes de instituições religiosas e advogados de partidos políticos. O objetivo foi fixar parâmetros a respeito das regras de campanha eleitoral em entidades religiosas e no seu entorno.
Um dos assuntos debatidos foi a proibição da veiculação de propaganda eleitoral em quaisquer instituições religiosas, nas imediações e abordando pessoas que comparecem aos cultos, segundo o coordenador da fiscalização, juiz Mauro Nicolau Junior.
Ele ressaltou que a realização de campanha em instituições religiosas, seja de forma verbal ou impressa, por meio de santinhos e folhetos, poderá ensejar a interdição da instituição, além de eventual aplicação de multa pela Justiça Eleitoral.

CONSULTA >> Eleitor pode conferir local de votação de forma rápida na internet

image.png
Na última semana antes da votação do 1º turno das eleições, candidatos se mobilizam para as mas tentativas de angariar apoios e eleitores vão atrás de informações tanto sobre as opções em disputa quanto sobre os procedimentos para a votação.

Uma das principais dúvidas é o local de votação. É possível conferir seção, zona e endereço por diversos canais na internet.

No site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o eleitor pode fazer a consulta. A opção está na página principal. Basta inserir o número do título de eleitor.

Para quem esqueceu o registro do documento, uma alternativa é preencher nome, nome da mãe e data de nascimento. O sistema apresenta número do título, seção, zona, endereço e município.

Para quem quiser usar as redes sociais, também há opções. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está usando robôs (bots, no jargão técnico em inglês) para auxiliar os eleitores a obter essas informações.

Os assistentes virtuais funcionam por meio das contas do Tribunal no Twitter (@TSEjusbr) e no Facebook Messenger (@TSEJus).

Mensagens
Para interagir com os programas, o eleitor precisa enviar mensagens a eles. Os assistentes funcionam como “perfis” com quem o usuário dialoga. No Facebook, basta o usuário procurar o perfil do TSE e enviar uma primeira mensagem.

Em seguida, aparecerão diversas opções como “dúvidas frequentes”, “situação eleitoral”, “quitação eleitoral” e “local de votação”.

Para conferir o endereço de onde o eleitor terá de comparecer, basta a pessoa fornecer nome completo e número do título para que o assistente consulte o banco de dados do TSE.

Caso o eleitor tenha esquecido o número do título, é possível recuperá-lo fornecendo algumas informações (como data de nascimento e nome completo da mãe).

No Twitter, o robô funciona de forma semelhante. O usuário precisa buscar o perfil do TSE e enviar uma mensagem direta a ele, para que sejam abertas as possibilidades de consulta de informações sobre questões eleitorais e sobre candidatos.

Outras informações
Tanto no site quanto por meio dos assistentes virtuais, também é possível obter outras informações.
Na opção “situação eleitoral”, por exemplo, a pessoa confere se está regular e se pode votar normalmente.

Na alternativa “candidatos”, é possível buscar todas as candidaturas, tanto nacionais quanto nos estados. O robô apresenta dados básicos e se a candidatura foi ou não deferida.
O usuário pode solicitar o programa de governo. O sistema enviará o link para consulta do documento.

O programa também dá a opção de ir para o site DivulgaCandContas, onde estão as prestações de contas periódicas dos candidatos.

Da Agência Brasil

Dia internacional das pessoas idosas lembra 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos

Casal de idosos rodeados por netos na comunidade tribal de Banjara, próxima à cidade indiana de Hyderabad, em 1981. Foto: ONU/John Isaac

O tema do dia internacional deste ano é “Celebrando os mais velhos defensores dos direitos humanos”. Além de promover os direitos dos idosos em geral e aumentar a visibilidade de sua contribuição para a sociedade, o tema de 2018 visa refletir sobre os progressos e desafios para garantir seus direitos e liberdades, e engajar grandes audiências em todo o mundo a mobilizar os direitos humanos para todos.
Dia Internacional das Pessoas Idosas, celebrado em 1º de outubro, promove os direitos humanos dos idosos em todo o mundo e, este ano, celebra a importância contínua da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH), que completa 70 anos.
O tema do dia internacional deste ano é “Celebrando os mais velhos defensores dos direitos humanos”. Além de promover os direitos dos idosos em geral e aumentar a visibilidade de sua contribuição para a sociedade, o tema de 2018 visa refletir sobre os progressos e desafios para garantir seus direitos e liberdades, e engajar grandes audiências em todo o mundo a mobilizar os direitos humanos para todos.
Hoje, quase 700 milhões de pessoas têm mais de 60 anos, um número previsto para aumentar para 2 bilhões - mais de um quinto da população mundial - até 2050. A Ásia será a região com o maior número de idosos e a África enfrenta o maior crescimento proporcional.
Isso significa que as necessidades e os desafios do envelhecimento da população mundial e a contribuição essencial que os homens e mulheres idosos podem dar à sociedade, se houver garantias adequadas, devem receber maior atenção.
A atenção política sobre o assunto vem crescendo desde 2002, quando a Assembleia Geral da ONU endossou o Plano de Ação Internacional de Madri sobre o Envelhecimento, descrito como um ponto de virada na forma como o mundo aborda os principais desafios da “construção de uma sociedade para todas as idades”.
Mais especificamente, o plano dá orientação sobre direito ao trabalho; direito a saúde, participação e igualdade de oportunidades ao longo da vida, salientando a importância da participação dos idosos nos processos de tomada de decisão em todos os níveis.
A última década assistiu a progressos em várias áreas, com o setor social tomando o centro das atenções. Isso inclui políticas inovadoras nos sistemas de saúde, seguridade social ou previdência social, planos de ação nacionais sobre o envelhecimento e a criação de novas instituições para buscar formas de responder gradualmente aos desafios enfrentados pelos idosos.
Fonte: ONU/BRASIL