sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Comitê paz e Movimento Viva Brasil emite nota sobre os 10 motivos para ser contra o comércio de armas de fogo

Resultado de imagem para Movimento Viva BrasilNOTA DO BLOG: Mediante os altos índices de violências registrados, não apenas em nosso Estado (RN), também ultimamente em nosso município, e ainda em todo país, de vez enquanto nos deparamos com algumas pessoas que tem por essência esse tipo de pensamento e, em alguns casos, até o comportamento violento, defendo a liberação do porte de armas como se isso fosse resultar na diminuição da violência. Porém, vários estudos e pesquisas comprovam que, se por ventura, viesse a ocorrer essa liberação, teríamos um aumento concreto da quantidade de mortes por armas de fogo e talvez muitos desses cometidos até por pessoas sem nenhum histórico de violência, mas apenas pelo fato de disporem de uma arma em uma circunstância qualquer... 
10 motivos para ser contra o comércio de armas de fogo
1– Arma é morte. A chance de morrer num ataque com uma arma é de 75%. Tentativas de suicídio chegam a 85% de efetividade.
Ninguém pode se achar no direito de dar uma de Charles Bronson contra os marginais. Para poder usar uma arma com responsabilidade o cidadão precisa de um treinamento que só um policial pode ter.
2- O cidadão não pode tomar para si uma tarefa que é do Estado. A segurança do cidadão é exclusividade do Estado, não podendo os civis criarem milícias ou quaisquer outros tipos de forças paramilitares.
3- Dar armas para a população é um desastre, uma vez que nossos cidadãos de bem são amadores no manuseio das armas e os bandidos são profissionais. Logo, o Estado deve proteger o cidadão de sua própria imprudência.
4- Existem cerca de 17 milhões de armas no Brasil que se chegarem ao poder de bandidos se tornarão perigosíssimas. Cada bandido com uma arma traz perigo real a sociedade e o Estado deve mitigar esse risco.
5- Com a proibição da venda de armas, pequenos assaltantes acabarão não podendo mais ter acesso às armas, pois o mercado negro será inflacionado com a escassez de armas. Logo, criminosos vão passar a atuar em crimes que tragam menos perigo as vidas dos cidadãos.
6- Ter uma arma em casa aumenta o risco de acidentes fatais. No Brasil, duas crianças são feridas todos os dias graças ao acesso às armas dos pais. Fora que muitas crianças acabam trazendo a arma do pai para a escola.
7- O mercado legal abastece o mercado ilegal de armas. Logo, com a proibição, a venda de armas passaria a ser um negócio com mais adversidades.
8- A arma transforma qualquer cidadão de bem num criminoso em potencial. Muitos são os casos de mortes em casas noturnas e bailes devido a vingança somada ao acesso a armas de fogo. Graças as armas, o risco de uma mulher morrer dentro de casa pelo marido é maior do que ela ser assassinada fora de casa. As armas potencializam a violência doméstica e causam mortes no trânsito.
9- Na Austrália, 5 anos após o desarmamento aprovado pelo partido liberal (partido conservador da Austrália), a taxa de homicídios caiu 50%. Austrália, Inglaterra e Japão, países onde as armas foram proibidas, são os países onde menos se mata com armas de fogo. Enquanto os EUA, onde as armas são compradas em qualquer esquina, é o oitavo país onde mais se mata.
10- Tirar as armas da população é fundamental para impedir que o povo se levante em movimentos sectários, como aconteceu na Iugoslávia, onde ortodoxos e islâmicos se armaram para exterminar uns aos outros. O povo armado pode criar instabilidade ao país e abalar o funcionamento do Estado Democrático de Direito.

Enfim, a tendência é que o homem armado sempre tente se impor pela força aos demais. Coibindo o acesso às armas, o Estado impede que a lei do mais forte impere na sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADO POR ESTÁ AQUI. NESSE BLOG, BUSCAMOS PUBLICAR COMENTÁRIOS DEVIDAMENTE IDENTIFICADOS.