quarta-feira, 22 de junho de 2016

FINALMENTE >> Deputado Jair Bolsonaro torna-se réu por incitação ao estupro














O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) tornou-se réu em duas ações penais no STF (Supremo Tribunal Federal) nesta terça-feira (21). Ele responderá por incitação ao crime de estupro e uma queixa-crime por injúria por ofender a deputada federal Maria do Rosário (PT-RJ) em uma discussão sobre o estupro. Pelo placar de votos 4 a 1, a 1ª turma do Supremo decidiu aceitar a denúncia contra Bolsonaro.
"Não saia, não, Maria do Rosário, fique aí. Fique aí, Maria do Rosário. Há poucos dias [na verdade a discussão havia ocorrido há alguns anos] você me chamou de estuprador no Salão Verde e eu falei que eu não estuprava você porque você não merece. Fique aqui para ouvir", afirmou Bolsonaro, à época.
"A violência sexual é um processo consciente de intimidação pelo qual as mulheres são mantidas em estado de medo", afirmou o ministro Luiz Fux. Relator dos processos, ele afirmou que não se pode subestimar os efeitos dos discursos que possam gerar consequências como o encorajamento da prática do estupro. Ao votar favoralmente pela abertura das ações penais, Fux enfatizou que o deputado repetiu suas declarações em entrevista aos órgãos de imprensa.

Com a mídia conservadora trata o caso
Fux considerou ainda que Bolsonaro não pode ser protegido pela prerrogativa de imunidade parlamentar, já que o que o parlamentar disse não tem nenhuma relação com a atividade que exerce na Câmara.
Junto com o relator, os ministros Edson Fachin, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso também votaram pela abertura das ações penais. O ministro Marco Aurélio foi o único voto contrário. O ministro afirmou que a declaração de Bolsonaro foi um "arroubo de retórica".
"Não posso considerar as brincadeiras feitas em redes sociais, os comentários dos cidadãos que perderam tempo fazendo comentários a respeito do episódio. O que tivemos foi um arroubo de retórica, uma metáfora", disse o ministro, que defendeu a imunidade parlamentar de Bolsonaro para pronunciar como lhe convier.
A defesa de Bolsonaro argumentou que o congressista deve ter direito de liberdade de expressão e afirmou que estupros no Brasil não aumentaram por conta de declaração. No Twitter, Bolsonaro reclamou da decisão do STF: "Diante de tantos escândalos a ética e a moral serão condenadas?"

2 comentários:

  1. Amigo, Bolsonaro foi acusado de ser estuprador. E em resposta ele disse que não a estupraria porque ela não merece. Ou seja, se ele "era" estuprador para Maria do Rosário, ele disse que ela não merece ser estuprada.
    Difícil entender isso?
    Outro ponto, Parlamentares não podem ser censurados por absolutamente nada que dizem. Eles tem Imunidade Parlamentar Material (Art. 53).
    .
    Tanto que Bolsonaro ao ser acusado de ESTUPRADOR por Maria do Rosário, não abriu inquérito contra ela, pois ela tem liberdade para falar, ainda que ofendendo.

    ResponderExcluir
  2. Amigo, Bolsonaro foi acusado de ser estuprador. E em RESPOSTA ele disse que não a estupraria porque ela não merece.
    Isso nada tem a ver com "SER FEIA" escrito no Jornal O Globo.
    .
    Se ele "era" estuprador para Maria do Rosário, ele disse que ela não merece ser estuprada.
    Difícil entender isso?
    .
    Outro ponto, Parlamentares não podem ser censurados por absolutamente nada que dizem. Eles tem Imunidade Parlamentar Material (Art. 53).
    .
    Tanto que Bolsonaro ao ser acusado de ESTUPRADOR por Maria do Rosário, não abriu inquérito contra ela, pois ela tem liberdade para falar, ainda que ofendendo.

    ResponderExcluir